5 dicas para pequenas e médias empresas ganharem visibilidade no Google de forma gratuita

5 dicas para pequenas e médias empresas ganharem visibilidade no Google de forma gratuita

Atualmente, uma das principais formas de conseguir um alto número de acessos e visualizações em um site é estar bem rankeado no Google. Ou seja, aparecer em uma boa posição entre os resultados de uma busca.

Para isso, existe um conjunto de técnicas, ferramentas e estratégias dentro do que é chamado de SEO (Search Engine Optimization). Mas quais são as estratégias que de fato são eficazes para que uma marca se destaque nas buscas?

“A otimização do site é um poderoso aliado para os empreendedores que desejam intensificar o tráfego orgânico do site da marca e impulsionar as vendas, mas requer um processo completo, passo a passo. Mas é essencial se colocar na cadeira do usuário que está do outro lado da tela, e tentar entender exatamente o que ele estava buscando quando chegou ao seu site. A experiência do usuário é essencial para aumentar os acessos e as conversões na mesma proporção”, explica Eduardo Borges, fundador da empresa SEO Comprovado.

“É muito importante que o site ofereça sempre um conteúdo de alta qualidade, contenha todas as informações necessárias para o usuário, tenha um layout agradável e pouco confuso, e é claro, que funcione muito bem em smartphones. Tudo isso faz parte do processo de otimização. Um site bem estruturado faz toda a diferença para as vendas e acessos, e estar bem posicionado é fundamental para as pequenas e médias empresas, que ainda não são tão conhecidas”, diz.

Mas é importante que o empreendedor esteja consciente do tempo de retorno. “No tráfego orgânico, os resultados não são imediatos. O investimento deve ser sempre pensado a longo prazo. O tráfego orgânico não engloba gastos diretos com anúncios, o que estende o tempo para que ele comece a funcionar. O Google leva alguns meses para entender que o conteúdo daquele site é uma boa resposta para as buscas”, explica Eduardo Borges.

Para os empreendedores que desejam investir e embarcar no SEO, ele separou cinco dicas fundamentais que não podem faltar nesse processo:

1) Estude os concorrentes nas primeiras posições do Google

google
Imagem de Photo Mix por Pixabay

Segundo Eduardo Borges, uma forma fácil e gratuita de medir se o conteúdo que está sendo entregue é de qualidade é estudar o conteúdo dos sites de concorrentes que aparecem em primeiro lugar na busca.

“Busque no Google por uma palavra-chave relacionada ao seu negócio, acesse os 3 sites de concorrentes que são os melhores colocados e analise o que eles têm que seu site não tem. Será que é o preço, o descritivo do produto ou serviço? É preciso entender o que as pessoas estão buscando, e o que o Google considera relevante para aquela busca”, comenta ele.

O título e a descrição também são muito importantes. “Se você observar as palavras que estão sendo usadas nos títulos e descrições dos sites concorrentes que estão bem rankeados e incluir aquelas palavras-chave no seu site, você já pode melhorar muito sua posição no Google. Fazer SEO às vezes é mais simples do que parece”, exemplifica.

2) Crie categorias bem segmentadas dentro do site

categorias de um site
Imagem de Hannes Edinger por Pixabay

O Google é baseado em palavras-chave, mas é preciso procurar um “termo específico” para obter uma “resposta específica”. “O Google não rankeia um site como um todo, mas sim uma página específica dentro do site. Por exemplo, se você digitar “perfumes importados masculinos”, ele irá direcionar para essa categoria específica (de perfumes, importados, para homens). Se não estiver otimizado na página que deseja rankear, para os termos “perfumes”, “importados”, “masculinos”, o Google dificilmente saberá qual página do seu site deve entregar nos resultados para essa busca , diz.

“Por isso, é fundamental ter duas perguntas bem definidas: 1) qual página você quer otimizar e 2) para quais palavras-chave essa página deve ser rankeada. Se você não sabe responder essa pergunta, o Google também vai estar confuso, e consequentemente, você não irá aparecer nas buscas”, ensina o especialista.

É comum que, ao aprender essa técnica, algumas pessoas passem a repetir as palavras-chave ao longo do texto, mas isso não necessariamente é o melhor. Para Eduardo Borges, o ideal é usar sinônimos, fazendo com que o Google de fato entenda do que se trata aquele conteúdo.

3) Construa autoridade por meio de backlinks

backlinks
Imagem de James Osborne por Pixabay

Isso porque outro critério que o Google leva em consideração para subir as posições de um site é a sua autoridade – ou seja, as recomendações vindas de outros sites por meio da inclusão do link.

“Se, por exemplo, alguns blogs ou sites considerados relevantes colocarem links para um determinado site, o Google passa a reconhecê-lo como uma autoridade no nicho, colocando-o, assim, no topo das buscas. Estimamos que 80% do peso para o posicionamento de um site está nesses chamados ‘backlinks’”, comenta.

Para isso, é preciso investir em estratégias de link building, no entanto, é preciso ter alguns cuidados. “Consiga links de sites de qualidade, não adianta se basear em trocas de links ou ferramentas automatizadas de spam. Também é importante conseguir backlinks de sites com temas relacionados ao seu. Não adianta conseguir backlinks do site de uma borracharia quando seu site é sobre venda de perfumes”.

Eduardo Borges alerta que nunca se deve publicar um conteúdo idêntico em sites diferentes. “Sites que se baseiam exclusivamente de copiar e colar conteúdo de outros, jamais terão qualquer resultado com o Google. É fácil para o gigante das buscas identificar quem foi o primeiro a postar aquele material, que vai direcionar a autoridade somente para o site que a merecer”, diz.

4) Utilize as ferramentas gratuitas

técnicas de seo
Imagem de William Iven por Pixabay

Assim como contamos com ferramentas para analisar as métrica do nosso próprio site gratuitamente, usando o Google Search Console, também existem várias outras ferramentas (pagas e gratuitas) que auxiliam bastante na hora do SEO.

Com essas ferramentas, é possível encontrar informações como: ideias de palavras-chave, volume de buscas por cada uma delas, nível de competitividade, backlinks dos seus concorrentes, entre outras.

Em seu canal no Youtube, Eduardo cita as 10 ferramentas gratuitas para SEO, e para quem deseja investir em uma mais avançada, ele faz um comparativo em seu blog mostrando quais as melhores ferramentas pagas da atualidade.

5) Invista em conteúdo de qualidade

conteúdo de qualidade
Imagem de StockSnap por Pixabay

Não importa se é um e-commerce, blog ou site oficial de uma marca. O conteúdo é fundamental para a experiência do usuário, e também para um bom posicionamento no Google.

“Marketing de conteúdo faz toda a diferença no processo de otimização do site. Não há como realizar uma boa estratégia de SEO sem a produção de conteúdo e informação de qualidade dentro do site”, pontua.

“O Google tem seus próprios robôs responsáveis por “varrer” a internet e ler tudo o que está escrito em cada página, os chamados ‘spiders’. Com essa varredura e por meio dos algoritmos de busca, o Google cria uma interpretação própria da qualidade de cada conteúdo. Ele também identifica os sites mais comentados (ou seja, com mais backlinks), e o site mais ´popular’ é o que fica em maior destaque. Por isso o conteúdo tem tanta importância. Não adianta escrever de forma corporativa, como se fosse uma tese de mestrado, pois as pessoas não irão se interessar pelo seu conteúdo desta forma. Em uma internet com tanta informação, é extremamente difícil prender a atenção dos usuários. Foque em uma comunicação leve, agradável e informativa”, finaliza Eduardo Borges.

Deixe um comentário