Não preciso de um site, já uso o Facebook

Não preciso de um site, já uso o Facebook

Um erro muito comum entre quem está entrando no mundo digital é acreditar que não precisa ter um site, que rede social basta. “Eu já uso Facebook, pra que ter um site? Meus clientes já estão todos ali… Não preciso de um site”.

Confesso que esta frase me dá um certo medo… “Meus clientes já estão TODOS ali… Não preciso de um site”. É realmente incrível usar e praticamente impossível não usar as redes sociais, sei da importância, aliás, aconselho todos a estarem lá, viu? (Claro que lembrando que cada rede social tem sua função, mercado, público, etc…).

As plataformas de redes sociais facilitam e são ótimas fontes de divulgação de produtos ou marcas e interação com clientes.

Mas, como já ouvi inúmeras vezes, “Rede social é CASA ALUGADA, ou seja, você pode sim usá-la para comunicação com seu público e divulgação de seu produto, mas não é você nem sua empresa quem define as regras dessa comunicação ou divulgação.

Não é você quem controla as informações de seus prospects e clientes, na verdade, você nem tem acesso direto as informações, você tem apenas uma ideia de quem podem ser.

Além disso, o conteúdo que você posta em suas redes sociais são mostradas apenas uma parcela incrivelmente pequena daqueles que curtem ou seguem sua página.

E se algum problema surgir e por algum motivo seu cliente sair da rede ou simplesmente parar de acessá-la, como você encontrará ele?

Agora, quando você tem um site, o cliente é seu e os dados que ele deixar lá, voluntariamente é claro, você terá acesso e poderá usá-los para entregar seu conteúdo da melhor maneira.

Conseguindo analisar e definir de forma mais precisa, quem é seu público, segmentá-lo, entendê-lo e entregar a ele o que ele realmente deseja receber.

E ele estará sempre ali, a um e-mail, uma mensagem ou a um telefonema de distância… Além disso, um site profissionaliza o relacionamento com o cliente, traz mais confiança, segurança e visibilidade para sua empresa ou produto.

Deixe um comentário